impostor.png
img_bg.png

Brunno Giancoli
Publicado em 02 de agosto de 2021

Você não se acha merecedor dos resultados do seu trabalho? Acha que as outras pessoas são sempre melhores e mais competentes que você? Sempre está com medo de ser demitida? Tem um medo mortal de se expor e evita desafios? Então talvez você sofra da síndrome do impostor. Mas o que é isso? Tem cura? Tem cura sim. E para saber mais é  só ler o texto. É rapidinho. Só vai levar 2,5 minutos.

A reunião vai começar e você começa a transpirar. Um frio na barriga e um desejo louco de sair correndo pela porta. O medo já tinha começado na semana anterior quando o chefe pediu para você montar uma apresentação para um rol seleto de pessoas que você julga muito melhores do que você. Todos se sentam na mesa. Você liga o laptop e começa a explicação. Depois de 45 minutos a reunião termina e todos elogiam o conteúdo, as análises e as conclusões da apresentação. Todos saem da sala e você recebe um elogio e um feedback positivo do chefe:

– Parabéns! Ficou excelente! Todos adoraram!

Um sorriso amarelo aparece no canto da sua boca. Sua garganta ainda está seca. Suas costas estão molhadas de suor, muito embora ninguém tenha visto ou percebido os sinais de nervosismo. Você instintivamente pensa: Foi pura sorte! Se não fosse a ajuda que tive para montar a apresentação teria dado tudo errado. Hoje consegui escapar da humilhação e da demissão.

Alguma vez você já pensou assim? Sente-se que não é capaz de realizar um determinada tarefa ou atividade? Acredita que os outros são sempre melhores, mais inteligentes, muito mais capazes, mais espertos? Acha que as pessoas te elogiam apenas por educação, afinal de contas você não é tão bom assim como aparenta ser. 

Ao que tudo indica a conclusão é inevitável: você é definitivamente um impostor (ou uma impostora). E só de pensar nisso bate aquela ansiedade, aquele medo, aquele desânimo que te corrói todos os dias no trabalho.

Se você se sente um impostor ou uma impostora não estou aqui para desmarcar a sua “fraude”. Pelo contrário, estou aqui para te ajudar a enxergar que todos esses sentimentos você mesmo criou para se autossabotar. Isso porque certamente você possui algum traço e da chamada síndrome impostor.

A síndrome não é como uma patologia ou doença para a maioria dos estudiosos do tema. É muito mais um sentimento recorrente que grande parte das pessoas não conseguem identificar na maioria das situações cotidianas, especialmente àquelas relacionadas a profissão. O termo foi cunhado em 1978 pelas psicólogas Pauline Clance e Suzanne Imes como um mecanismo psicológico de defesa pelo qual a pessoa não é capaz de internalizar suas realizações e atividades. Como consequência deste padrão comportamental surgem sentimentos de infelicidade e de baixa autoestima que corroem o desempenho e a performance profissional.

Mas como identificar esses profissionais? Quais são as suas principais características daqueles que sofrem deste sentimento de impostor? O fenômeno, infelizmente, passa desapercebido na maioria dos ambientes profissionais. Normalmente o fantasma da incompetência criado pela pessoa que se julga impostora assombra os seus mais profundos sentimentos e reflexões. Mas existem 05 fatores observáveis bem comuns:

1. Procrastinação. Como o impostor ou a impostora acredita avaliado de forma negativa e terá um feedback ruim é bem provável que ele (ou ela) fará de tudo adiar a atividade que lhe incumbiram.

2. Autossabotagem. Como o impostor ou a impostora sabe que o fracasso é inevitável e a fraude será revelada para todos ele (ou ela) tende a não se esforçar ao máximo evitando gastar suas energias.

3. Medo de exposição. O impostor ou a impostora procura evitar ao máximo momentos de avaliação e exposição pública. Diante disso buscam atividades e tarefas menos perceptíveis e secundárias, escondendo-se profissionalmente para evitar críticas ou chamar a atenção. Vivem nas sombras profissionais para evitar qualquer risco.

4. Comparação com os outros. O impostor ou a impostora passa a sua vida profissional comparando-se com outras pessoas. Mas ao invés de uma comparação saudável usam este artifício para reforçar a sua inferioridade imaginada, reforçando sentimentos de angústia, tristeza, frustração e comparação.

5. Querer agradar a todos. O impostor e a impostora procuram sempre alcançar a aprovação de todos. Sempre querem causar boa impressão e, por esta razão, evitam qualquer situação embaraçosa, conflituosa ou discordante. Sujeitando-se, muitas vezes, a episódios humilhantes e constrangedores somente para manter a imagem de legal e bacana.

O profissional com síndrome do impostor passa por momento de muito stress e ansiedade e em casos extremos podem desenvolver fobias e quadros de ansiedade e depressão. Mas como mudar este sentimento? De fato, mudanças de mindset não são fáceis. O primeiro passo é compreender esse sentimento e procurar policiar as suas reações. Em casos mais graves é sempre recomendável uma ajuda profissional. Contudo, o primeiro passo é reconhecer que você NÃO É UM IMPOSTOR OU UMA IMPOSTORA.

VER MAIS TEXTOS PUBLICADOS

texto_home_03.png
texto_home_02.png
texto_home_01.png

Editor-chefe

Bruno Costa

info@meusite.com

(11) 3456-78900

  • Ícone do Twitter Preto
  • Ícone do Linkedin Preto

Produtor Especialista

Lucas Silveira

info@meusite.com

(11) 3456-78900

  • Ícone do Twitter Preto
  • Ícone do Linkedin Preto

Vendas

Alice Mendes

info@meusite.com

(11) 3456-78900

  • Ícone do Twitter Preto
  • Ícone do Linkedin Preto