• Brunno Giancoli

Curso - tema 01

Você não consegue ficar desgrudado do celular e das redes sociais? Já tomou alguma bronca do chefe ou de um colega para prestar atenção na reunião? Você fica desesperado para ver as últimas atualizações e todas as notificações do celular? Então é só ler o texto. É rapidinho. Só vai levar 2 minutos.




Você mal abre os olhos e já começa a tatear a mesinha ao lado da sua cama. Como está frio você tira apenas um pedaço da mão que está quentinha debaixo do edredom. Em três ou quatro movimentos ele já está em suas mãos. Você põe a cabeça para fora que estava enterrada debaixo do travesseiro e logo surge aquela luz característica. Uma luz quase divina, ou melhor, demoníaca capaz de sugar toda a sua atenção e interesse. Exatamente como um dementador dos filmes do Harry Poter, ser das trevas que se alimenta de toda a felicidade e atenção dos seres humanos.


Sim. O celular é a materialização de um dementador. Mas esta crítica pode parecer absurda para alguém que escreve num blog online onde, muito provavelmente, seus leitores usam o celular para ler exatamente este texto agora. Eu sei…. já consigo escutar as vozes atrás da minha nuca:


– Eu peguei o celular de manhazinha para ler os seus textos. Este é o único horário que eu tenho tranquilo. Quem vê pensa você não faz a mesma coisa!


Infelizmente tenho que admitir que na maioria das manhas o meu dementador modelo 11 pro Max (aquele da maçãzinha) me captura para a leitura de e-mails, dos quais deleto 99% pois não servem para nada. Ele só não consegue me agarrar nas redes sociais, porque deste mal já estou a um tempo vacinado. Só uso facebook, instagram e outras redes exclusivamente para questões profissionais.


Não sei dizer quando este comportamento e dependência do celular surgiu. Mas hoje já existem estudos sérios sobre os seus efeitos negativos. O mais interessante de todos é a síndrome ou fobia denominada FoMO, abreviação da expressão em inglês Fear of missing out (medo de ficar de fora). Identificado pela primeira vez nos idos dos anos 90 com o primeiro artigo publico no ano 2000 nos EUA no Journal of Brand Management

pelo especialista em comportamento do consumidor Dan Herman. O FoMO é um medo diante de uma situação com muitas escolhas, onde uma delas significa muitas renúncias. A pessoa olha essencialmente para o copo “meio vazio”, ou seja, no que ela está sempre perdendo.


O FoMo já está prejudicando a vida profissional de muita gente. Se você pretende ler um relatório, fazer uma apresentação, escrever um texto, concentrar-se na análise de uma planilha, participar efetivamente de uma reunião é bem difícil (para não dizer impossível) manter o foco e obter uma imersão satisfatória se a cada 30 segundos você para dar aquela olhadinha no celular e conferir o enorme vazio das redes sociais repletas de fotos de gente posando com bicos e poses de miss universo. E não adiante dizer que você é multitasking ou multitarefa. Isso já ficou provado que é inviável para uma o desempenho de qualquer atividade profissional com eficiência. A Associação Americana de Psicologia em um estudo sobre o tema concluiu que que o multitasking pode aumentar 40% o tempo do trabalho.

Mas como então se livrar do FoMo e melhorar o foco profissional? Infelizmente não é uma tarefa fácil. Aliás é bem difícil. Falo por mim. Luto com o meu dementar 11 pro Max todos os dias. Ela até conseguiu me dar um oizinho enquanto escrevia este texto. Mas existem 03 dicas simples e fáceis para exercitar e se livrar do FoMO pelo menos durante o período de trabalho e estudo. Algumas até parecem óbvias e bobas, mas acreditem: funcionam. Aí vão elas:


1. Essa é a dica mais difícil e a mais conhecida, mas também é a mais eficiente: desative todos os alertas de redes sociais (especialmente o WhatsApp).


2. Agora uma dica mais radical para os dias que você precisa se concentrar muito ou está naquela reunião importante com a equipe e com o chefe: coloque o celular no modo avião. Fique tranquilo. O mundo não vai acabar, você não vai perder nenhuma notícia importante e a Terra não será invadida por alienígenas. Você vai apenas perder as fke News postadas no grupo da família, as fotos das pessoas com corpos e vidas perfeitas que você insiste em seguir e os posts de autoajuda dos “gurus” da modernidade. Nada além disso.


3. Agora a dica final…. estabeleça um dia unplugged, desconectado, off-line e totalmente analógico para exercitar o JoMO, anacrônimo de the joy of missing out, ou seja, a alegria de perder algo…. mas reconquistar o foco e a conexão com as pessoas e o mundo ao seu redor.


Agora deixa eu ir embora que já estou me coçando para dar aquela espiada no zap zap.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo